Acha mesmo que um papinho sincero, um desabafo e afetividade, vai mudar alguma coisa? De alguma forma… curar-me? Não estou falando de um dia ruim aqui. As coisas que senti são inexprimíveis. Não há como esquecer. Não há como fazer melhorar. Porque está gravado em minha mente, para sempre. Você não entenderia. E não poderia nunca fazê-lo entender. Então desculpe-me.”
Supernatural. (via wakends)
Olha só pra você, ai, perdido, como se já não esperasse mais nada, como se já tivesse matado leões com as próprias mãos, e achado melhor descansar, pela sorte de estar vivo. Não há sorte em estar vivo, você faz a sua sorte, mesmo que custe sua vida. Você é bom, quem te disse o contrário disso? Você pensa que eu não sei o que é pensar que está sempre fracassando? Eu sei, eu sinto isso. Eu erro igual qualquer outro que tenha a chance. Você não precisa da minha ajuda, ou do conforto das palavras que eu posso te oferecer. Apenas, acredite mais, talvez você não saiba, mas é possível derrubar montanhas usando os punhos, tocar as nuvens e ignorar toda essa dúzia de lógicas baratas que enchem livros e fazem as bibliotecas bocejar. Não estou aqui para dizer que é fácil, só quis te lembrar que ainda há tempo de ser imbatível - diferente do que dizem, essa geração não está perdida, apenas esquecida de que há caminhos não explorados. Não deixem as lendas do passado falarem alto que são insuperáveis. Porque jamais serão ao menos que você os deixe ser.”
Sean Wilhelm.  (via defeiitos)
Deitei na cama e chorei tudo aquilo que eu não disse.”
Cristian. (via motivando)
As vezes sinto como se eu amasse todo mundo mais do que todo mundo me ama. Odeio esse sentimento.”
Miley Cyrus.  (via sociedadedosfalsospoetas)
– Aonde você vai?
– Para minha casa. Tenho montes de coisas a fazer e tal.
– Como o quê?
– Ficar longe de você é minha tarefa mais imediata.
– Deixa de ser infantil!
– Ok. Te ligo quando eu amadurecer.”
Gabito.  (via allaxg)

"Somos como vitrines de lojas, onde passamos nosso tempo a arrumar, a esconder, a colocar em evidência as pretensas qualidades que os outros nos concedem — para nos enganarmos a nós mesmos."

Friedrich Nietzsche. In: Aurora

Eu sofro de arquivamento de memórias antigas.”
Isaías Costa.    (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)
Eu sentei na cadeira no canto da parede. Adormeci e sonhei com meu novo lar. Lá tinham pessoas sentadas na grama, comendo pão com salsicha e dançando ao som de algum blues. Jazz também para aquele pessoal todo. Nos campos, flores, como em filmes da Barrymore. No céu, aeroplanos, como em um sonho do aviador brasileiro. Havia bromélias xeretas dizendo de lá para cá que nunca estiveram em lugar mais bonito. Aí a gente acorda e vê tudo cinza. Vejo cinza com s e sinza com c. O que importa é que nesse asfalto nem na cama industrializada sonhar é livre. A gente é condicionado a querer se libertar. Entra amarras e correntes o homem quer, em um neologismo, se aventurar. As coisas pacatas, o ar bucólico, não é mediaticamente saudável aos pulmões acostumados com a nicotina atmosférica. Quando falam que as pessoas são prisioneiras e digo que são, mas não da forma que dizem. Aí, amigo, estude filosofia, doutrine a si mesmo com ideologias concretas e produtivas. Não é qualquer utopia que satisfaz um homem que se deita em uma cadeira no canto da parede. Ideologias cheias, seja de éter, seja de açúcar mascavo, seja de infantilidades contrasensum.”
— A.E.C Souza (via oxigenio-dapalavra)
THEME